ir direto para o conteúdo ir direto para as editorias

Mapa-Mundi.com - Redefinindo o luxo de viajar - Turismo de Luxo, Cruzeiros, Arte e Design, Primeira Classe, Compras, Baladas

Buscar no Mapa-Mundi


U$ 24 Milhões

Museu em Washington exibe diamante azul Graff, de mais de 500 anos
« »
  1. O diamante na obra de Velasquez
  2. A gema no topo da corôa da Bavária
  3. Anúncio do leilão das jóias da família real da Bavária
  4. Laurence Graff admira a pureza da pedra
  5. O Wittelsbach-Graff sendo analisado no GIA
  1. U$ 24 Milhões
  2. O diamante na obra de Velasquez O diamante na obra de Velasquez
  3. A gema no topo da corôa da Bavária A gema no topo da corôa da Bavária
  4. Anúncio do leilão das jóias da família real da Bavária Anúncio do leilão das jóias da família real da Bavária
  5. Laurence Graff admira a pureza da pedra Laurence Graff admira a pureza da pedra
  6. O Wittelsbach-Graff sendo analisado no GIA O Wittelsbach-Graff sendo analisado no GIA

Ele é um dos objetos mais cobiçados do planeta. Mas, até o final de agosto, qualquer um pode desfrutar da sua magnificência.  O diamante Wittelsbach-Graff acaba de ser exposto no Smithsonian National Museum of Natural History, em Washington.

Antes de chegar à capital dos Estados Unidos, o diamante passou por muitas mãos. Na última vez que trocou de donos, seu passe custo mais de U$24 milhões. A história da pedra esta toda documentada, pelo menos na parte que se refere aos seus últimos 500 anos.

O Wittelsbach-Graff saiu da Índia em meados do século 17, quando passou às mãos do Rei Filipe IV, da Espanha.  Por adornar o broche real, usado pela Infanta Maria Tereza, ele foi retratado em várias telas de Diego Velasquez.

Em 1664, a menina casou com o Emperador Leopold I, da Áustria. E levou o diamante no dote. Em 1772, depois de mais três donos, a pedra entrou para a Casa de Wittelsbach. Ao assumirem o trono, os novos donos colocaram a gema na Coroa da Bavária.

Lá ela permaneceu até 1921, quando Ludwig III, um dos mais fabulosos soberanos da história e último rei da Bavária, foi enterrado.  As jóias reais foram então leiloadas.

A pedra continuou trocando de mãos até que, em 2008, foi comprada por Laurence Graff, um dos mais conceituados joalheiros do planeta. A transação estabeleceu um recorde histórico no preço do quilate.

Graff resolveu então polir, relapidar e restaurar sua mais nova aquisição. Dos 35 quilates originais, o diamante atual manteve 31.06. Puros e perfeito. Antes de ir para o museu, o Wittelsbach-Graff recebeu do GIA (Gemological Institute of America), o Certificado 11b.

O mais alto grau de pureza já conferido a um diamante azul. Se você tiver a sorte de passar por Washington nos próximos meses, não perca a chance de ver de perto esta maravilha.

Fotos: Geneva Graff Diamonds

Enviado por: Eduardo Alves
Data de publicação: 30/06/2010 - 08:52


Comente (0) comentários

ler todos os comentários



. .

© 2005-2010 Mapa Mundi por Eduardo Alves.
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.

Desenvolvido por: cliointeractive