ir direto para o conteúdo ir direto para as editorias

Mapa-Mundi.com - Redefinindo o luxo de viajar - Turismo de Luxo, Cruzeiros, Arte e Design, Primeira Classe, Compras, Baladas

Buscar no Mapa-Mundi


Mozart em Nova York

Lincoln Center recebe convidados virtuosos para noite de música
« »
  1. Mas de 300 músicos no palco!!!
  2. Solos e Sensações
  3. O coral de estudantes da Ridder University
  4.  Richard Goode, um dos mais importantes pianistas da atualidade
  5. O maestro, Manfred Honeck regeu com emoção
  6. David Geffen Hall
  1.    Mas de 300 músicos no palco!!!
  2.    Solos e Sensações
  3.    O coral de estudantes da Ridder University
  4.     Richard Goode, um dos mais importantes pianistas da atualidade
  5.    O maestro, Manfred Honeck regeu com emoção
  6.    David Geffen Hall

Não é fácil interpretar obras-primas e complexas da música clássica, de forma brilhante, e com cara nova. Para conseguir um feito como esse, é preciso um time de artistas de primeira grandeza. Coisa que, em Nova York, eu sei onde encontrar. 

Em 13 de março de 2019, uma quarta-feira ainda um pouco fria em Manhattan, o David Geffen Hall estava lotado. Casa da Orquestra Filarmônica de Nova York, e uma das três salas de espetáculos principais do Lincoln Center, o prédio recebia naquela noite convidados ilustres. 

No programa, cinco obras de Mozart: o músico alemão mais brilhante, do século 18. Os convidados especiais eram o maestro Manfred Honeck. No piano, Richard Goode, um dos mais importantes músicos da atualidade. Entre os quatro cantores solistas, estava o tenor americano, Ben Bliss, um dos meus favoritos. E, para completar, o sensacional Westminster Symphonic Choir, composto por jovens estudantes da Ridder University, em Princetown, Nova Jersey. Era a fórmula perfeita para uma jornada sonora de emoção e transcendência. 

A noite começou com o Concerto para Piano Número 27, peça tocada pela primeira vez, por Mozart, meses de morrer, em dezembro de 1791. De extrema dificuldade, a obra desafiou o solista, que com majestade e virtuosidade, atingiu ritmos galopantes com lirismo leve e despretensioso. A noite começara bem.

 Após o intervalo, o piano de calda foi retirado do palco. Para a segunda parte, entram em cena, junto com a 106 músicos da orquestra, os quatro cantores solistas e os 175 membros do coral. Memos antes da música recomeçar, confesso que estava arrepiado.

 A partir daquele momento o programa previa obras fúnebres, que remitem à morte e à ressurreição. O maestro Honeck, que é diretor da Orquestra Sinfônica de Pittsburgh, encontrou uma maneira original de apresentar a obra mais importante da noite, o inacabado Requiem.

Para abrir, eles tocaram Masonic Funeral Music (1785). E depois, Ave Verum Corpus (1791). Sem pausa, como se fossem uma obra só, as três criações de Mozart se transformaram uma música nova: o efeito foi espetacular!

 Ao ousar juntar as três obras, o maestro, se permitiu tocar o Requiem na forma inacabada, apenas com as notas compostas por Mozart. Após a morte de Mozart, o trabalho fora completado pelo aluno Franz Xaver Süssmayr, cuja edição foi por muito tempo o padrão para orquestras em todo o mundo. O problema é que é fácil notar aonde a sofisticação de Mozart termina e a inferioridade bem-intencionada de Süssmayr começa. 

No programa daquela noite, Requiem foi tocado como Mozart o deixou. Da “Lacrimosa”, parte final da obra, entraram apenas fragmentos. Foi uma noite inesquecível!


 

 

 

Depois daquela noite na Filarmônica, caminhei de volta o hotel Mandarin Oriental New York, aonde estava hospedado. No trajeto de dois quarteirões sentia como se meu corpo ainda flutuasse nas notas musiacis.

Durante a temporada de concertos, que em geral vai de setembro até o final de abril, a Filarmônica de Nova York oferece cerca de três ou quatro concertos por semana. O repertório é variado, mas sempre recheado de convidados excepcionais.

Para incluir uma noite da música clássica na programação de viagem, agende-se com antecedência. Entre no site da Filarmônica. É fácil ver toda a programação, dia-a-dia. Você pode escolher seu assento e comprar direto, sem taxa de serviço. No dia do espetáculo, as entradas estarão a sua espera na bilheteria. Aproveite!

 

Enviado por: Administrador
Data de publicação: 14/04/2019 - 17:38


Comente









© 2005-2010 Mapa Mundi por Eduardo Alves.
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.

Desenvolvido por: cliointeractive